www.neuroconecta.com.br

OMS lança nova CID. Transtorno do Espectro do Autismo integra as alterações

OMS lança nova CID. Transtorno do Espectro do Autismo integra as alterações

Lançado em 18 de junho pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a 11ª edição da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID), incluiu novas condições de saúde em seu catálogo. Uma delas é o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Assim como o Manual de Diagnóstico e Estatísticas dos Transtornos Mentais (DSM), a CID11 uniu o TEA em um único diagnóstico.

Agora, o espectro está incluido como um dos distúrbios de neurodesenvolvimento, recebendo seu próprio código: “6A02”, que contempla ainda oito subclassificações:

6A02.0 Transtorno do espectro do autismo sem transtorno do desenvolvimento intelectual e com comprometimento leve ou ausente da linguagem funcional

6A02.1 Transtorno do espectro do autismo com transtorno do desenvolvimento intelectual e com comprometimento leve ou ausente da linguagem funcional

6A02.2 Transtorno do espectro do autismo sem transtorno do desenvolvimento intelectual e com linguagem funcional prejudicada

6A02.3 Transtorno do espectro do autismo com transtorno do desenvolvimento intelectual e com linguagem funcional prejudicada

6A02.4 Transtorno do espectro do autismo sem desordem do desenvolvimento intelectual e com ausência de linguagem funcional

6A02.5 Transtorno do espectro do autismo com desordem do desenvolvimento intelectual e com ausência de linguagem funcional

6A02.Y Outro transtorno do espectro do autismo especificado

6A02.Z Transtorno do espectro do autismo, não especificado

“No CID10, até então o autismo era classificado como Transtorno Global do Desenvolvimento. Havia várias categorias utilizadas para pessoas dentro do espectro e agora o conceito de TEA apareceu no manual”, esclarece Dra Fabiele Russo, pesquisadora e idealizadora do portal NeuroConecta.

Com essa nova categorização será possível estabelecer diagnóstico mais adequado às especificidades do transtorno, contribuindo com o desenvolvimento de habilidades e melhora do manejo terapêutico daqueles que estão no espectro. Além disso, por meio da CID é possível ter acesso a um panorama do número de pessoas no mundo apresentam o TEA.

O novo manual será apresentado em maio de 2019, durante a Assembleia Mundial da Saúde e deve entrar em vigor em 1º de janeiro de 2022. O catálogo não era atualizado desde 1990.

Com cerca de 55 mil códigos únicos para lesões, doenças e causas de morte, o documento é a base para identificar tendências e estatísticas de saúde em todo o mundo. “O CID-11 está em desenvolvimento há mais de uma década e oferece melhorias significativas em relação às versões anteriores. Pela primeira vez, é completamente eletrônica e possui um formato que facilita seu uso”, esclareceu o chefe da agência da Organização das Nações Unidas (ONU), Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Leia mais em OMS lança nova classificação internacional de doenças

Com informações de NeuroConecta e ONU Brasil

Posts Relacionados