Neurônios-espelho e sua relação com habilidade de imitação

Patrocinado

Você já ouviu falar em neurônios-espelho? O cérebro humano é bastante complexo e reflete as ações praticadas por outras pessoas como se fossem espelhos.

Há um grupo de neurônios que são responsáveis por essa habilidade e que são chamados de neurônios-espelho.

Além disso, eles também estão ligados a capacidade de imitação, empatia, compreensão e comportamento social.

Os neurônios-espelho foram descobertos na década de 1990, por cientistas da Universidade de Parma, na Itália.

TEA e neurônios-espelho

Como sabemos, uma característica do autismo é a dificuldade de interação social.

Patrocinado

Contudo, é comum que as pessoas com o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) apresentem dificuldade em se relacionar, demonstrar os sentimentos e as emoções, e de se colocar na perspectiva do outro.

Por isso, estudos têm sido realizados sobre o autismo e os neurônios-espelho.

Sabe-se que, em alguns casos, os neurônios-espelho não funcionam adequadamente em indivíduos com o TEA.

Por isso, essa dificuldade de se relacionar e da incapacidade de se colocar no lugar do outro pode estar relacionada à disfunção desses neurônios.

Outra questão importante dos neurônios-espelho é em relação à limitação da capacidade de imitação do outro.

Patrocinado

Lembrando que a imitação está relacionada ao desenvolvimento da linguagem e desenvolvimento motor.

O papel na cognição

Além da imitação e empatia, o neurônio-espelho é importante para a compreensão da cognição social: a forma como as pessoas interagem com outros socialmente.

Os neurônios-espelho registram as informações sensoriais geradas quando um indivíduo planeja uma ação, quando executa a ação e quando vê outra pessoa realizando a ação. Todas elas ficam armazenadas nas mesmas regiões do cérebro.

A importância de pesquisas na área

Ainda é preciso que sejam feitas novas pesquisas sobre os neurônios-espelho para esclarecer a sua função e a ligação com os comportamentos dos autistas.

Pesquisas na área sobre os neurônios espelhos e o autismo são fundamentais para que no futuro possam ser estabelecidas terapias mais efetivas para melhorar a socialização das pessoas com o TEA.

Como foi descoberto

Pesquisadores descobriram que alguns neurônios em uma área do córtex pré-motor dos macacos disparavam quando os animais faziam coisas como pegar ou morder um amendoim.

Uma vez que os pesquisadores identificaram os neurônios-espelho em macacos, o próximo passo foi procurá-los em humanos.

Mas eles não conseguiram registrar a atividade de neurônios individuais em humanos da mesma forma que poderiam em macacos, já que isso requer conectar eletrodos diretamente ao cérebro.

Em vez disso, o primeiro estudo do neurônio-espelho humano examinou a contração muscular da mão. Desde então, a maioria dos estudos sobre o sistema de neurônios-espelho humanos tem usado algum tipo de neuroimagem, geralmente ressonância magnética.

Saiba mais sobre os neurônios espelho

  • É considerado uma das descobertas mais importantes da neurociência dos últimos anos.
  • Permite o aprendizado por imitação, já que é acionado quando é necessário observar ou reproduzir o comportamento de outros seres da mesma espécie.
  • Os neurônios-espelho são um tipo de célula cerebral que responde igualmente quando realizamos uma ação e quando testemunhamos alguém realizando a mesma ação.
  • Foi descrito inicialmente em macacos por pesquisadores da Universidade de Parma, na Itália.
  • Está localizado no córtex pré-motor e lobo parietal inferior dos primatas.
  • Está ligado à observação e imitação das expressões faciais e dos movimentos das mãos e movimentos.
  • As propriedades dessas células têm ajudado a entender a origem de alguns distúrbios neurológicos.
  • Alguns pesquisadores estão interessados ​​em saber se os neurônios-espelho respondem não apenas às ações ou emoções de outras pessoas, mas também à intenção por trás dessas ações.
  • O autismo poderia resultar de disfunções dos neurônios-espelho.

Leia também: Plasticidade cerebral e Poda neural: compreenda a conexão com o TEA

Referências:

https://www.correiobraziliense.com.br/revista-do-correio/2021/08/4946248-neuronios-espelho-nos-permitem-viver-a-vida-dos-outros.html

https://www.news-medical.net/health/What-are-Mirror-Neurons.aspx

WhatsApp
Facebook
Pinterest
Telegram
Twitter
Patrocinado

Você irá ler neste artigo

Quem leu gostou do artigo!!!
Quem leu gostou do artigo!!!
Picture of Dra. Fabiele Russo

Dra. Fabiele Russo

Neurocientista, especialista em Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Pesquisadora na área do TEA há mais de 10 anos. Mestre e Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP) com Doutorado “sanduíche” no exterior pelo Departamento de Pediatria da Universidade da Califórnia, San Diego (UCSD). Realizou 4 Pós-doutorados pela USP. É cofundadora da NeuroConecta e também, coautora do livro: Autismo ao longo da vida.