Conscientização do Autismo: compreender para desenvolver

Você já ouviu falar sobre o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA)? Sabe o que significa?

Ao pesquisar na ferramenta de busca da internet o termo “autismo”, uma das referências que se pode observar com maior frequência são esses questionamentos somados à pergunta: “Meu filho é autista. E agora?”

Hoje, 2 de abril, Dia Mundial da Conscientização do Autismo, queremos convidar você a conhecer esse, que é considerado um transtorno do neurodesenvolvimento mais comum na população do que se pode imaginar.

Alinhados à proposta do movimento internacional de conscientização do autismo, nós, da NeuroConecta, queremos convidar você a compartilhar sua história com o TEA. Seja você alguém que está no espectro ou que convive com alguém que esteja, conte-nos sua vivência.

Acreditamos que por meio de experiências compartilhadas pode ser possível contribuir com a aceitação e acolhimento de quem tem o transtorno.

O primeiro passo para desenvolver quem está no espectro, é não negligenciar seus sentimentos e compreender que não se deve generalizar o autismo. Cada indivíduo com Transtorno do Espectro do Autismo apresenta suas particularidades. Compreender que a pessoa com autismo pode ter limitações e respeitá-las é fundamental no processo de evolução.

No universo do TEA compreenda que é possível vencer barreiras. Portanto, a palavra de ordem é: estimular! O limite da capacidade de seu filho irá até aonde for a sua capacidade de amor e compreensão!

Neurocientista que estuda o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) há quase 10 anos, Fabiele Russo é Mestre e Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP) com Doutorado no exterior pelo Departamento de Pediatria da Universidade da Califórnia, San Diego (UCSD) e Pós-doutorado pela USP. Possui ampla experiência na área do autismo.