Entenda o autismo não verbal

Patrocinado

Além das dificuldades na interação social e no comportamento, os atrasos no desenvolvimento da fala são indicadores que levam muitos pais e profissionais a suspeitarem do Transtorno do Espectro do Autismo (TEA).

É frequente a utilização do termo “não verbal” para descrever crianças que ainda não desenvolveram a capacidade de falar, mas isso não está totalmente correto.

Na verdade, essa pessoa é “não falante” o que NÃO significa necessariamente que ela seja “não verbal”.

A comunicação verbal vai além da fala. Comunicação verbal significa que a pessoa se comunica através de verbos. Portanto, a ausência da fala não significa, obrigatoriamente, uma incapacidade de se comunicar através de verbos.

Vamos entender melhor? Veja abaixo mais detalhes sobre o que significa Não Verbal e Não Falante.

Patrocinado

Não verbal

É alguém que se comunica através de gestos, expressões faciais, movimentos corporais ou outros meios adaptativos. Essa pessoa não utiliza verbos para se comunicar, nem por meio da fala e nem por meio da escrita. Ou seja, essa pessoa é não verbal.

Não falante 

É alguém que NÃO se comunica através da fala, mas pode empregar outras formas de linguagem verbal para se expressar como por exemplo a escrita e a digitação.

Ou seja, essa pessoa é não falante, mas é verbal, pois ela utiliza verbos para se comunicar, mesmo que seja de outra forma diferente da fala propriamente dita. Ficou claro agora?

Então…

É errado dizer que toda pessoa que não desenvolveu a fala é “não verbal”. Uma pessoa não falante pode sim ser verbal se ela utilizar verbos para se comunicar através de outros meios diferentes da fala.

Estima-se que cerca de 30% das pessoas com TEA não conseguem utilizar a fala para se comunicar ou utilizam um número restrito de palavras.

Patrocinado

Portanto, elas podem se comunicar por meio da linguagem escrita, por gestos, cartões ou por meio da tecnologia com aplicativos ou eletrônicos. Por isso a implementação da Comunicação Aumentativa Alternativa (CAA) é tão importante. Nós precisamos e devemos oferecer recursos para dar voz para essas pessoas. Afinal o mais importante é a pessoa conseguir se comunicar, não importa a maneira!

Fala, linguagem e comunicação

Para entender mais sobre o assunto é importante distinguir os termos fala, linguagem e comunicação. Vamos lá?

A fala é a comunicação oral através da transmissão de sons. Para que ela ocorra a pessoa deve utilizar os órgãos fonoarticulatórios como: a boca, os lábios, a língua, o palato mole, o palato duro e os dentes.

A linguagem inclui todo o sistema de comunicação, podendo ser verbal ou não verbal. Resumindo, a fala é a nossa capacidade de nos comunicar oralmente, e a linguagem é a capacidade global de comunicação.

A comunicação é o processo de transmitir informações, ideias, sentimentos, pensamentos de uma pessoa para outra. Portanto a comunicação pode ser realizada através da fala e da linguagem.

O que pode ser feito para melhorar a comunicação do autista não verbal

É importante que os pais procurem uma intervenção terapêutica para desenvolver e melhorar as habilidades de comunicação da criança autista.

As famílias, professores e pessoas próximas podem ajudar no desenvolvimento da comunicação. É importante que as crianças autistas sejam estimuladas a interagir com outras pessoas e brinquem, pratiquem atividades lúdicas. Gestos e contato visual podem ajudar bastante no desenvolvimento da comunicação. Ele precisa se sentir à vontade para se expressar no seu próprio tempo, sem pressões desnecessárias.

A tecnologia também pode ser usada a favor da comunicação. Há diversos dispositivos e aplicativos com imagens que podem contribuir para que a criança autista não verbal se comunique e até mesmo se divirta.

Lembrando que os terapeutas capacitados são os mais indicados para mostrar quais são as estratégias para incentivar o desenvolvimento da comunicação. Por isso, é fundamental buscar ajuda profissional para realizar as intervenções necessárias.

Referências

https://www.cdc.gov/ncbddd/autism/signs.html

https://www.autismspeaks.org/expert-opinion/seven-ways-help-your-child-nonverbal-autism-speak

https://www.verywellhealth.com/what-is-nonverbal-autism-260032

WhatsApp
Facebook
Pinterest
Telegram
Twitter
Patrocinado

Você irá ler neste artigo

Quem leu gostou do artigo!!!
Quem leu gostou do artigo!!!
Picture of Dra. Fabiele Russo

Dra. Fabiele Russo

Neurocientista, especialista em Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Pesquisadora na área do TEA há mais de 10 anos. Mestre e Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP) com Doutorado “sanduíche” no exterior pelo Departamento de Pediatria da Universidade da Califórnia, San Diego (UCSD). Realizou 4 Pós-doutorados pela USP. É cofundadora da NeuroConecta e também, coautora do livro: Autismo ao longo da vida.