Diagnóstico do Transtorno Opositivo Desafiador: Como é feito?

Patrocinado

Você já ouviu falar do Transtorno Opositivo Desafiador (TOD)? Trata-se de uma condição comportamental que ocorre na infância e a criança apresenta constantes episódios de desobediência e hostilidade.

O DSM-V classifica o TOD como parte de um grupo de transtorno de conduta, disruptivos e de controle de impulsos. As crianças costumam ser birrentas e não lidam bem com a frustração.

Geralmente, os sintomas do TOD aparecem antes dos oito anos e é mais comum em meninos. Os pais e cuidadores sentem muita dificuldade em lidar com essas crianças que são desobedientes, desafiadoras e agressivas.

As razões para que surja o TOD ainda não estão claras, apesar de saber que ela está ligada a fatores genéticos e condutas familiares.

Vale destacar que o TOD é uma comorbidade que pode ser observada no Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Sendo assim, a criança ou jovem pode ter ambas as condições.

Patrocinado

Estima-se que 2% a 16% das crianças em idade escolar apresentam TOD.

Como é feito o diagnóstico?

Geralmente, são os pais e responsáveis que se atentam para os comportamentos que são bastante agressivos e impulsivos.

No entanto, o diagnóstico pode ser difícil, pois a maioria das crianças apresenta alguns dos sintomas de vez em quando, principalmente quando estão cansadas, com fome ou chateadas.

A diferença é que a criança com o TOD apresenta esses sintomas com mais frequência e persistência do que outras.

Apresentam um padrão recorrente de comportamento negativista, desafiante, desobediente, principalmente com figuras de autoridades que levam a um prejuízo na vida acadêmica, social e familiar.

Patrocinado

Sinais do TOD

  • Frequentemente discute com adultos ou figuras de autoridade;
  • Costuma desafiar as regras dos adultos;
  • Faz coisas deliberadamente para aborrecer a terceiros;
  • Culpa os outros pelos seus próprios erros;
  • Fica ofendido com facilidade;
  • Fica bravo quando contrariado;
  • É rancoroso e vingativo quando desafiado ou contrariado;
  • Agridem verbalmente familiares;
  • Responsabiliza os outros por seus erros ou mau comportamento;
  • É comum que se aborreça sem motivos;
  • Surtos de raiva.

Além disso, os especialistas avaliam se ela demonstra dificuldades comportamentais por pelo menos seis meses, têm problemas na escola e dificuldade para fazer amizades.

E também se seu funcionamento geral fica comprometido devido às suas atitudes desafiadoras.

Para ter um diagnóstico precoce, os pais e responsáveis devem ficar de olho nos comportamentos das crianças e buscar ajuda especializada.

Um psiquiatra infantil ou especialista em saúde mental qualificado pode diagnosticar o TOD.

Geralmente, ele conversa com os pais e professores sobre o comportamento da criança e poderá observá-la para chegar a um diagnóstico.

Formas de tratamento

Na maioria das vezes, o tratamento depende de psicoterapia comportamental e suporte escolar. O uso de medicação também pode ser indicado.

A medicação melhora a autorregulação de humor frente às frustrações. A psicoterapia deve centrar em mudanças comportamentais na família com medidas de manejo educacional.

E a escola precisa oferecer apoio, reforço e abertura para um bom diálogo, o que melhora o engajamento do aluno opositor às regras escolares e o leva a se distanciar de situações nocivas.

Não existe um tempo de tratamento ideal, depende muito de como a criança vai reagir com as intervenções.

Vale destacar que se não for tratada ou receber o apoio adequado, o quadro pode evoluir para o Transtorno de Conduta, que é uma condição mais severa que o TOD.

Nesses casos, a pessoa pode mentir para obter vantagens, entrar em lutas corporais, ser fisicamente cruéis com pessoas ou animais, destruir a propriedade alheia, praticar furto, maltratar as pessoas e cometer diversos crimes.

Por isso, é fundamental que desde cedo a criança receba ajuda e controle os seus sintomas e melhore os comportamentos com a terapia adequada.

Referências

https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/oppositional-defiant-disorder/symptoms-causes/syc-20375831

https://childmind.org/article/what-is-odd-oppositional-defiant-disorder/

https://www.hopkinsmedicine.org/health/conditions-and-diseases/oppositional-defiant-disorder

WhatsApp
Facebook
Pinterest
Telegram
Twitter
Patrocinado

Você irá ler neste artigo

Quem leu gostou do artigo!!!
Quem leu gostou do artigo!!!
Picture of Dra. Fabiele Russo

Dra. Fabiele Russo

Neurocientista, especialista em Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Pesquisadora na área do TEA há mais de 10 anos. Mestre e Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP) com Doutorado “sanduíche” no exterior pelo Departamento de Pediatria da Universidade da Califórnia, San Diego (UCSD). Realizou 4 Pós-doutorados pela USP. É cofundadora da NeuroConecta e também, coautora do livro: Autismo ao longo da vida.