Desenvolvendo habilidades com Musicoterapia

Patrocinado

Musicoterapia é internacionalmente reconhecida como uma atividade clínica e regulamentada na área da saúde. Essa terapia consiste na utilização da música no contexto clínico, educacional e social e tem como objetivo auxiliar no tratamento ou prevenção de problemas de saúde mental.

Na musicoterapia, o paciente vivencia a música de forma ativa através de diversas atividades de acordo com as suas necessidades clínicas, habilidades e potenciais.

A música é composta por melodia, harmonia e ritmo de uma maneira organizada e está presente em todas as culturas conhecidas. A música vem sendo utilizada em vários contextos, desde para o entretenimento, até para acalmar crianças agitadas, liberar emoções, expressar consciência social, dentre outras funções.

Essa abordagem terapêutica vem ganhando popularidade como uma estratégia de intervenção para crianças com transtornos do desenvolvimento, incluindo o autismo, já que essa terapia ajuda na melhora da qualidade de vida desses indivíduos.

O Transtorno do Espectro do Autismo, também conhecido como TEA, atinge aproximadamente 1-2% da população, afetando substancialmente a capacidade da criança em adquirir habilidades sociais.

Patrocinado

A aplicação de intervenções eficazes para facilitar e desenvolver as habilidades sociais é essencial devido ao impacto que essas habilidades podem ter, ao longo da vida, sobre a independência e o funcionamento desses indivíduos.

Estudos mostram que a musicoterapia é uma prática eficaz, com efeitos profundos sobre a melhoria dessas habilidades em crianças com autismo.

Benefícios que a musicoterapia pode promover para os indivíduos com autismo

  • Promover o bem estar e satisfação emocional;
  • Diminuir o estresse;
  • Ajudar a expressar sentimentos;
  • Auxiliar na comunicação;
  • Auxiliar na melhora da memória;
  • Ajudar na criatividade;
  • Ajudar na socialização e interação;
  • Diminuir a hiperatividade;
  • Trabalhar as necessidades cognitivas.

As sessões de musicoterapia devem ser conduzidas por um musicoterapeuta qualificado, podendo ser individuais ou em grupo, mas o tratamento deve ser sempre individualizado de acordo com as necessidades de cada um.

Referências:

LaGasse AB. Social outcomes in children with autism spectrum disorder: a review of music therapy outcomes. Patient Relat Outcome Meas. 2017 Feb 20;8:23-32. doi: 10.2147/PROM.S106267.

Brown LS. The Influence of Music on Facial Emotion Recognition in Children with Autism Spectrum Disorderand Neurotypical Children. J Music Ther. 2017 Mar 1;54(1):55-79. doi: 10.1093/jmt/thw017.

Patrocinado

Ghasemtabar SNHosseini MFayyaz IArab SNaghashian HPoudineh Z. Music therapy: An effective approach in improving social skills of children with autism. Adv Biomed Res. 2015 Jul 27;4:157. doi: 10.4103/2277-9175.161584.

 

WhatsApp
Facebook
Pinterest
Telegram
Twitter
Patrocinado

Você irá ler neste artigo

Quem leu gostou do artigo!!!
Quem leu gostou do artigo!!!
Picture of Dra. Fabiele Russo

Dra. Fabiele Russo

Neurocientista, especialista em Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Pesquisadora na área do TEA há mais de 10 anos. Mestre e Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP) com Doutorado “sanduíche” no exterior pelo Departamento de Pediatria da Universidade da Califórnia, San Diego (UCSD). Realizou 4 Pós-doutorados pela USP. É cofundadora da NeuroConecta e também, coautora do livro: Autismo ao longo da vida.