Alguns autistas precisam aprender a desenvolver algumas habilidades importantes para o dia a dia. Conseguir realizar as atividades de vida diária é fundamental para aumentar a independência em casa, na escola e na sociedade. 

Os pais e responsáveis devem desde cedo introduzir e estimular que o autista aprendam essas habilidades e tenham ferramentas para aumentar a sua autoestima, ser autônomo e mais feliz.

Para que isso seja possível, são usadas estratégias adequadas para favorecer a autonomia e a independência, retirando a sobrecarga do cuidador, elevando a autoestima e abrindo a possibilidade para novos aprendizados.

Sempre é necessário avaliar as dificuldades, adaptar e preparar o ambiente, estruturar a atividade e inseri-la na rotina do autista.

Quais são as atividades de vida diária?

São atividades básicas do dia a dia e também mais complexas que visam à independência do autista.

Os pais devem reconhecer que ensinar essas atividades aos filhos com autismo é tão importante quanto promover o desenvolvimento das habilidades de comunicação e cognitivas. 

Essas habilidades são aprendidas com o tempo, começando em casa bem cedo e desenvolvendo-se ainda mais durante a adolescência e a idade adulta.

Entre essas atividades podemos destacar:

  • Autocuidado: conseguir trocar de roupa, tomar banho, escovar os dentes, preparar as refeições etc;
  • Administração de dinheiro e finanças: é fundamental ensinar a administrar seu próprio dinheiro, a usar uma conta bancária, cartões de crédito e fazer um planejamento financeiro para garantir sua independência financeira como adulto. 
  • Saúde e segurança: o autista precisa entender em quem podem confiar, quais são os riscos que corre com estranhos e saber se comunicar para pedir ajuda;
  • Plano de carreira e emprego: é importante que o autista seja estimulado a estudar e ter um emprego.
  • Relacionamento com as pessoas: estimular a interação social e a comunicação do autista desde cedo contribui para melhorar os seus relacionamentos.
  • Conseguir pegar transporte público: saber como, onde e quando usar o transporte público certamente aumentará a independência e dará mais segurança.
  • Atividades de lazer e diversão: é importante encorajar atividades úteis quando a criança está com tempo livre, como fazer exercícios, ler ou tocar um instrumento musical.
  • Organização: como organizar o tempo e definir um cronograma. Ensinar como planejar o dever de casa, por exemplo.  

Como ensinar essas habilidades para o autista

Como cada autista é diferente, é importante que o treinamento dessas habilidades respeite as dificuldades e limitações individuais. Há casos em que a pessoa autista precisa de suporte 24h e não vai conseguir viver sozinho e ser independente – é o caso dos autistas do nível 3 ou severo.

Há diversas habilidades para a vida que precisam ser aprendidas, que devem ser ensinadas e praticadas em casa, na escola e na sociedade. A maioria das pessoas com autismo se beneficia de uma instrução clara e prática. 

No entanto, é fundamental buscar ajuda especializada de profissionais que treinem a criança ou jovem com autismo para realizar atividades do dia a dia.

Procure a ajuda de um Terapeuta Ocupacional (TO) que é o profissional capacitado para ajudar nas AVDs.  Outros profissionais que são especialistas na ciência ABA também ajudam o autista a desenvolver habilidades para realizar as atividades do dia a dia e se tornar mais independente.

Como ajudar?

Veja abaixo algumas dicas que podem ajudar o autista a desenvolver suas habilidades de atividades diárias.

  • Garantir que eles entendam a necessidade da atividade.
  •  Escolher uma meta apropriada que se adapte a idade e habilidades do autista. Evite colocar mais de um objetivo para atingir de uma só vez e comece devagar.
  • Dividir as tarefas em rotinas simples como se fosse um passo a passo.
  • Ensinar cada passo da atividade e encorajar a criança ou jovem diariamente. Mostrar visualmente o que fazer.
  • Dê tempo e deixe a criança ou jovem praticar a atividade várias vezes.
  • Apoiar a conclusão da tarefa, comemorar e recompensar a criança quando os objetivos são alcançados.

Referências:

https://www.autismspeaks.org/life-skills-and-autism

https://online.regiscollege.edu/blog/11-tips-for-teaching-activities-of-daily-living/

https://researchautism.org/daily-living-skills

Neurocientista que estuda o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) há quase 10 anos, Fabiele Russo é Mestre e Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP) com Doutorado no exterior pelo Departamento de Pediatria da Universidade da Califórnia, San Diego (UCSD) e Pós-doutorado pela USP. Possui ampla experiência na área do autismo.