Como a terapia cognitiva-comportamental pode ajudar o autista?

Patrocinado

Já falamos aqui que as pessoas que se encontram no espectro precisam de diferentes intervenções terapêuticas. A terapia cognitiva-comportamental (TCC) pode ser uma ferramenta eficaz para os autistas. Você já ouviu falar sobre a TCC?

A TCC é uma abordagem terapêutica bastante procurada atualmente. Suas técnicas contribuem bastante para tratamento de doenças mentais como depressão e problemas psicológicos.

Como funciona?

O foco da terapia cognitivo-comportamental é a reestruturação mental da pessoa. Por isso, geralmente são realizadas diversas sessões com um psicólogo e segue-se uma abordagem estruturada e direcionada com tempo determinado.

A terapia, que é conduzida de acordo com um plano específico,  se aprofunda no passado e nas questões que ocorrem no presente. Geralmente, há um plano, uma meta e um tempo limitado para conseguir realizar mudanças.

Por meio da conversa e diálogo com o psicólogo, o indivíduo é encorajado a desafiar tanto suas crenças quanto seus pensamentos automáticos por meio de uma variedade de técnicas.

Patrocinado

Além de entender melhor seus sentimentos e substituir os pensamentos negativos por outros mais positivos. E também ensaiar uma situação futura, passando por etapas como relaxamento, respiração profunda e um diálogo interno encorajador, que o ajudarão a lidar com a situação.

A TCC acredita que o que causa sofrimento psíquico é o modo como o indivíduo interpreta os fatos, ou seja, sua percepção de mundo dá origem aos seus conflitos emocionais.

Para desconstruir essas visões equivocadas e estruturar novos padrões mentais, o terapeuta alia teorias cognitivas e técnicas de modificação do comportamento.

Na TCC, o psicólogo ajuda a pessoa a entender seu problema, dividindo-o em partes menores. Como resultado disso, eles podem achar mais fácil ver como as partes estão conectadas e o impacto que elas têm em seus pensamentos e emoções.

Portanto, a terapia cognitivo-comportamental pode ajudar os pacientes a gerenciar seus problemas, ajudando-os a reconhecer e entender como seus comportamentos, pensamentos e emoções afetam uns aos outros.

A TCC pode ser realizada em sessões individuais ou em grupos. Geralmente, as sessões de terapia ocorrem semanalmente ou quinzenalmente. A duração pode variar de 30 a 60 minutos.

 

Benefícios para os autistas

Diversas pesquisas realizadas em todo o mundo apontam que a TCC pode ser eficaz para os autistas, principalmente em relação à ansiedade. Esse problema emocional é bastante comum e prejudicial em pessoas com autismo. Em alguns casos, pode contribuir com comportamentos inadequados.

A TCC ajuda os autistas a gerenciar não apenas sua ansiedade, mas também quaisquer problemas emocionais que surgirem. Vale destacar que tanto as pessoas que estão no espectro quanto os pais e responsáveis podem se beneficiar da terapia no dia a dia.

Outros benefícios da terapia-cognitiva comportamental:

Lidar com situações estressantes

Crianças e adolescentes com autismo podem ter dificuldade em lidar com situações estressantes. A terapia cognitivo-comportamental pode ajudar a criança a identificar o que causa esse desconforto e a lidar melhor com diferentes cenários.

As crianças e jovens com autismo aprendem a lidar melhor com a ansiedade e medo que a acompanham. Normalmente, reduzem os pensamentos negativos e passam a ver as situações de uma forma mais positiva.

Mudar crenças negativas

Quem tem autismo, pode apresentar crenças falsas ou irracionais, incluindo pensamentos negativos. Algumas dessas crenças incluem o pensamento “tudo ou nada”. Geralmente, vê apenas os extremos de uma situação.

A terapia ajuda a lidar melhor com o pensamento negativo e a aprender que se falhar em uma tarefa, não indica que falhará em todas.

E você, conhece algum autista que faça terapia-cognitiva comportamental?

Referências

https://iancommunity.org/cs/simons_simplex_community/cognitive_behavioral_therapy

https://www.news-medical.net/health/Cognitive-Behavioral-Therapy-for-Autism.aspx

https://www.nhs.uk/mental-health/talking-therapies-medicine-treatments/talking-therapies-and-counselling/cognitive-behavioural-therapy-cbt/how-it-works/

WhatsApp
Facebook
Pinterest
Telegram
Twitter
Patrocinado

Você irá ler neste artigo

Quem leu gostou do artigo!!!
Quem leu gostou do artigo!!!
Dra. Fabiele Russo

Dra. Fabiele Russo

Neurocientista especialista em Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Mestre e Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP). Cofundadora da NeuroConecta.